Afinal, qual é a diferença entre missão e propósito?

Não é raro eu topar com essa dúvida durante o desenvolvimento visual de marcas, isso porque muito do meu trabalho é guiado pelo propósito do cliente e então eu preciso (e adoro!) conhecer esses propósitos. Mas algumas vezes missão e propósito se confundem e acabam deixando muita gente aflita e se sentindo muito mal por não conseguir definir algo tão importante para o seu próprio negócio.
Para começar, e sem muito rodeio, gosto dessa explicação curta e direta: Missão é a razão de ser da sua marca para o seu cliente, enquanto propósito é a de ser da sua marca, para ela própria. Enquanto a missão define o que você faz, para quem faz e como faz, o propósito define porque você faz isso. E não, não é pela grana, porque você poderia escolher seguir milhares de outras profissões e carreiras que trariam a mesma soma, mas você escolheu uma entre todas elas.
Mas agora que você já sabe o que é cada uma delas, vamos à parte realmente importante que é, como reconhecer cada uma delas!
Reconhecendo a Missão
A missão é sobre clareza de objetivos e sobre como caminhar para alcançá-los. A missão é mutável e adaptável. Ela pode até mudar todo ano, à medida que os seus objetivos vão sendo alcançados e você traçar um novo plano. Ela também pode mudar se você resolver mudar de área ou se adquiriu uma nova habilidade que fará grande diferença na entrega do seu trabalho. Se o seu negócio for de médio ou grande porte e oferecer serviços ou produtos muito distintos, você pode, inclusive, ter mais de uma missão declarada, uma para cada vertente.
Mas vale lembrar que o fato de ser flexível não significa que você deva mudar de missão a cada segunda-feira, porque é para isso que servem as metas e os objetivos de curto prazo! Aliás, a missão é quem irá “amarrar” todos esses objetivos soltos e fazer com que a sua rotina e seus esforços façam sentido. É para a missão que a gente olha quando, quando, por algum motivo, esquecemos de para onde devemos ir.
Para quem prefere a praticidade, eu trago 5 perguntas que considero essenciais na hora de organizar as ideias e bolar uma missão clara:
- O que eu faço?
- Como eu faço?
- Para quem eu faço?
- Quais valores eu prezo?
- Como desejo que minha empresa seja percebida pelo público?

DICA: Escreva todas as respostas de forma a chegar em uma única frase, sem se preocupar com o tamanho. Depois vá refinando e ajustando conforme achar necessário.

Mas e sobra alguma função para o Propósito?
Ôh, se sobra! O propósito é sobre mente e coração, é o que move pessoas e organizações e, como você já deve ter lido por aí, é sobre o impacto que desejamos causar no mundo. E por ele ser mais abrangente, tende a se manter o mesmo por muito mais tempo (na verdade é bem comum que ele seja pra vida inteira).
Mas o seu propósito pode mudar em algum ponto da vida? Claro que sim! Somos humanos, seres em constante evolução, e é mais que natural que a gente cresça, se desenvolva, mude de opinião.. Mas é bem provável que seu novo propósito seja muito semelhante, em essência, ao antigo. Isso porque o propósito é fortemente embasado nos nossos valores e valor não é algo tão mutável (eles vem de um conjunto de crenças e experiências que vamos coletando e construindo ao longo dos anos, às vezes até inconscientemente, mas isso é papo pra outro post hehe).
Enquanto a missão te diz para onde você deve ir e de que forma caminhar, o propósito te diz porque você deve fazer isso. E as 5 perguntas que auxiliam a declarar o propósito são:
O que você ama fazer?
O que você faria mesmo de graça, em circunstâncias adversas?
O que o seu eu de 8 anos amava fazer?
O que te faz entrar em flow (estado de fluxo)? Aqueles momentos em que você esquece de comer ou de ir ao banheiro, e que nem vê a hora passar.
Pelo que você está disposto à lutar?

DICA: Diferente das perguntas que ajudam a definir missão, estas não funcionam como um roteiro e sim como uma espécie de guia para identificar emoções, situações e causas que te despertam.

Socorro, não consigo rentabilizar o meu propósito!
Fique calmo! É importante lembrar que nem sempre o seu propósito é rentável. Até me arrisco a dizer que grandes propósitos não trazem dinheiro por si só. Se pararmos para pensar, a maioria das pessoas que foram engajadas em uma causa de grande impacto social e que são lembradas até hoje, ganharam pouco ou nenhum dinheiro para isso.
Mas não estou aqui para dizer que você deve trabalhar de graça, apenas quero deixar claro que o propósito em si não está diretamente ligado à uma fonte de renda. E tá tudo bem, porque a nossa missão pode ser o plano de sustento e podemos alinhá-lo para que caminhe junto com o propósito.
Mas porque parece tão difícil?
A esta altura você já deve ter identificado que tem mais dificuldade para definir um ou outro, e isso é muito comum.
Para algumas pessoas é mais fácil definir a missão. Normalmente essas pessoas são objetivas, gostam de planejamento, são determinadas e têm uma visão muito clara de onde desejam chegar. E aí encontrar um propósito pode até parecer difícil, por ser algo intangível e não mensurável. Assusta porque abraça o todo, mas com calma se chega lá.
Por outro lado, tem gente que consegue definir o propósito muito fácil e se enrola toda quando o assunto é missão. Nestes casos, noto que a pessoa é muito mais sentimento e costuma tomar decisões levadas pela emoção. Estas pessoas, muitas vezes, já sabem exatamente o impacto que querem causar no mundo e só precisam lapidar ele. Em compensação, a missão se torna um desafio imenso: como resumir isso? como colocar em prática? como fazer com que as pessoas entendam? Eu espero que as perguntas e dicas acima possam te ajudar a acalmar os pensamentos e organizar as ideias.
Embora o propósito seja algo que constitui o ser, que é inerente à natureza humana, acredito fortemente que só o reconhecemos de fato, após ter tomado total conhecimento dos nossos objetivos e da nossa missão. Penso que tentar encontrar um propósito antes de todo o resto, é como tentar encontrar uma desculpa para fazer algo.
Pense em tudo o que você já fez e lhe causou profunda satisfação e orgulho, rastreie os seus antigos objetivos e os que você ainda não atingiu. Observe o que eles tem em comum, perceba porque desistiu de alguns e lutou bravamente por outros. Não ter encontrado o seu propósito, não significa que você não tenha um. Significa apenas que ele está trabalhando em silêncio :)

Visite outros conteúdos no Blog

Back to Top